Make your own free website on Tripod.com

FACECO 2004

Home | Destaques da Feira | Concursos | Animação na Faceco

ffkb5w.gif

Welcome!

estufa.jpg
Foto GIRP CMO

Pólo de Educação Ambiental abre em Outubro

 

O Pólo de Educação Ambiental (PEA) – Sítio da Costa Sudoeste, em Odemira, vai ser inaugurado a 1 de Outubro. Um investimento de 1 milhão e 7 mil euros, cerca de 200 mil contos co-financiados em 75 % por fundos comunitários para área do ambiente neste concelho.

Um complexo pensado para qualificar espaços ambientais mas onde não foram esquecidas as componentes pedagógicas e turísticas.

O Pólo de Educação Ambiental é, segundo António Camilo, um projecto, mais do que municipal, regional e que pretende também alguma visibilidade nacional.

O projecto inclui a Ecoteca de Odemira, O Percurso Ribeirinho, Cerro dos Moinhos, Horta Pedagógica e os Viveiros numa primeira fase e até ao final do ano o Arboreto e o Parque das Águas.

O PEA tem por objectivo informar e sensibilizar grupos de alunos e professores, técnicos especializados ou com interesse na área ambiental que se revejam no conhecimento e interpretação do património natural e ambiental desta região.

A entidade promotora prevê nos próximos 5 anos uma adesão de visitantes de 40.000 visitas anuais, um valor que a autarquia odemirense que ver aumentar nos anos seguintes.

Carlos Oliveira, vereador da cultura, desporto e turismo sublinha que este projecto * ele próprio motor de reutilização de materiais* e dá o exemplo da zona ribeirinha de Odemira que foi construída com 2000 postes dos telefones recuperados.

O autarca destaca ainda alguns dos elementos fortes deste projecto e e sublinha a importância da água neste pólo dando o exemplo da zona ribeirinha onde *temos uma lagoa de maré essa lagoa vai permitir explicar os efeitos das marés e a sua influencia nos ecossistemas marinhos*.

A Ecoteca constitui a estrutura central deste pólo e funcionará enquanto centro de recursos para a educação ambiental com local para experiências em laboratório, centro de documentação, espaço de exposição, sala de informática e sala de conferências.

No que diz respeito ao percurso ribeirinho constitui um espaço de recreio dedicado aos ecossistemas marinhos. Ao longo deste local vai ser possível ao visitante ter conhecimento dos elementos biofísicos do rio Mira e afluentes.

A experiência de trabalhar a moagem vai ser outro dos pontos de interesse deste projecto. No Cerro dos Moinhos Juntos o moleiro mostrará a arte de muar os cereais explicando todas as etapas do cereal.

Já numa vertente de educação ambiental, dirigida aos mais novos, o projecto contempla ainda uma horta pedagógica com um conjunto de talhões que estão disponíveis para as comunidades educativas, uma unidade para estágio e mineralização de lamas de Etar´s, um espaço de para tratamento de resíduos verdes e uma unidade de compostagem.

As plantas também têm lugar no PEA num espaço que disponibiliza aos visitantes uma estufa maternidade e áreas de estágio para plantas envasadas ornamentais e silvícolas e uma estufa-fria e quente para o desenvolvimento e exposição de plantas exóticas e endémicas.

Floricultura é o tema da FACECO 2004

A FACECO terá este ano como tema a “Floricultura”, sector de grande peso económico a nível local, sobretudo na faixa litoral do concelho, onde estão instaladas diversas empresas que se dedicam à produção de flores e arbustos ornamentais. Desde as exóticas próteas até às enigmáticas tulipas e os versáteis bambus, são muitas as variedades de flores e arbustos criados no concelho e distribuídos pelos mercados interno e externo, com especial incidência nos países do Norte da Europa. A FACECO abre as suas portas a esta actividade, através da presença de alguns dos produtores locais e de várias floristas do concelho, que representam a produção e a comercialização.
As flores irão invadir o recinto, com especial destaque para o Pavilhão do Artesanato, que será decorado com milhares de flores de papel feitas pela população de S.Teotónio. É precisamente neste pavilhão que será apresentado ao visitante o mais genuíno artesanato do concelho, com dezenas de artesãos a mostrar ao vivo a sua arte e os seus ofícios.